quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Dois é bem melhor do que um.

O que reascende a vida, somos nós mesmos - embora raramente tenhamos em mente isso - Somos nós. Cada um de nós. O jeito com que se encara a vida faz a total diferença. Pergunte a si mesmo, como, numa única semana, sente-se diferente em cada um dos dias. Estabeleça um sentimento para cada um deles, uma emoção. E se pegue descobrindo que, se acorda bem e seu dia corre tranquilamente, você deita a cabeça no travesseiro e dorme feito anjo. Mas se acorda mal, seja lá que mal isso traga - e vai trazer - seu dia, por mais que queira, não sairá das raízes ruins. Isso porque para o dia fluir, antes, nós temos que fluir. E é aí que entra o reascender, que é de nossa responsabilidade. Embora há meios magníficos de conseguir deixá-lo mais repleto de luz. Minha mãe sempre disse que felicidade não tem que depender de ninguém, a não ser que venha de você, primeiramente. Depois sim. Pense no outro. E no que pode ser quando há alguém do outro lado, com a mão estendida. É uma das melhores sensações decorrentes do amor. A vida é a melhor sensação. E ela é para nosso prazer e uso. Saudável e consciente. Embora o amor, nunca use a consicência. Pelo contrário: pura emoção. E não há deslize mais bonito que esse. Nem ponte mais certa rumo a felicidade. Dois é bem melhor que um...

Um comentário:

Raul Shultz disse...

Opa, Faby!!

Como está?

Espero que bem..
Como sempre ótimas palavras..

To voltando p Brasil mês que vem...
Quero muito vê-la, pode to be?

Bjao
Saudades